Y the last man

sábado, 19/07/2008

Em um mundo cheio de mulheres, o que faria o último homem? Será que ele sairia e se comportaria como um homem normal? Será que se sentiria acuado pela presença feminina abundante? Ou viraria ele um garanhão para a reprodução humana? Em um mundo cheio de mulheres, haveria espaço para o último homem?

Essas são boas perguntas e muitas delas são respondidas em Y the Last Man, um quadrinho da linha Vertigo que começou a ser publicado em 2002 e terminou no ano passado. Nele temos a história de Yorick Brown, o último ser humano masculino do planeta após uma praga que dizimou todas as criaturas que tinham o cromossomo Y. Bem, todas não, Yorick tem um macaco chamado Ampersand, que o acompanha em uma grande empreitada através do mundo em busca de sua namorada que estava na Austrália.

Nas 60 edições de Y, vemos Yorick apanhar, chorar, se machucar, ser torturado, correr, amar e ser humano. Talvez esse seja o grande feito deste quadrinho, ele traduz bem a essência do ser humano, as vezes seu lado bom, e outras seu lado mau, definitivamente algo real, não um estereótipo tirado de algum filme. O roteiro é consistente, a arte o acompanha e temos uma boa combinação para se manter intrigado e entretido anos a fio. Apesar de ser sobre o último homem, as mulheres estão presentes na trama e são tão magníficas como as mulheres que encontramos em vida, e a interação entre Yorick e elas são o charme e o lado sexy de que a história precisa.

Este é um dos quadrinhos que recomendo a todos meus amigos lerem. E quando ele chegou ao fim o primeiro comentário que ouvi foi: “Droga, agora tenho que achar algo para ler no lugar do Y the last man.” Dificilmente acharemos algo parecido, já que o humor e a tenacidade de Y são únicas, assim como suas citações a filmes e músicas das décadas 60 e 70. Claro que existirão outros bons quadrinhos, mas Y entra para a seleta lista dos melhores já produzidos.

Anúncios