Anime e Qualidade

quinta-feira, 29/01/2009

xamdCom a quantidade de animes que finalmente chegam todos os dias aqui pelas bandas do Brasil me espanto com a qualidade de alguns deles. Quando comecei a assistir animes, todos eram cópias das cópias das cópias de algum VHS que tinha chegado aàs mãos de algum fã. As vezes este fã comprava as fitas e a partir dai com a ajuda dos amigos eram feitos os fansubs. E na época alguns tinham qualidade excepcional, como o Akira. Quando o vi pela primeira vez foi como me acertassem com uma marreta. Como aquilo era bem feito.

Continue lendo »

Anúncios

Zegapain

terça-feira, 07/10/2008

Este é mais um daqueles animes obscuros que por algum motivo não fizeram o sucesso que mereciam. Claro que, em um mercado competitivo como o do Japão, para se fazer um sucesso, tem-se que criar algo muito chamativo ou que arrecade fãs a cada esquina, e Zegapain não se encaixou em nenhum destes aspectos.

A história é um tanto a la Matrix: Kyo, um estudante um dia percebe que o mundo em que ele vive não é real, mas apenas uma simulação dentro de um computador e assim ele tenta descobrir o que está errado com a cidade em que vive. Ao tentar descobrir a verdade ele descobre que o mundo que ele acha conhecer, na verdade, foi destruído há muito tempo e apenas alguns poucos humanos estão lutando para retomar o controle do planeta. Logo, Kyo está lutando para ajudar a humanidade a se erguer novamente, a bordo do robô Zegapain Altair.

Continue lendo »


Xenogears

sexta-feira, 29/08/2008

Foi em 1998 que ao folhear uma revista americana sobre videogames tive meu primeiro contato com Xenogears. Era uma propaganda de página inteira com um robô azul e logo abaixo dele estava escrito: Stand tall and shake the heavens, algo como mantenha-se ereto e chacoalhe os céus. Aquilo realmente me impressionou, afinal era um rpg da Square, e não era Final Fantasy.

Poucos meses depois pude colocar minhas mãos no jogo, e bem, muitas horas perdidas depois fiquei com aquela sensação de que aquilo tudo era realmente fantástico. Uma história rica em detalhes, cenários gigantescos, robôs pilotáveis, músicas fantásticas e a possibilidade de lutar contra tudo, e contra Deus também.

A trama começava como todo rpg clássico, um rapaz de uns 20 anos, que está em uma vila remota de um continente dividido pela guerra das duas maiores nações que existe no mundo. Logo a guerra chega ao herói da história Fei Fong Wong, que sofre de perda de memória, mas que para proteger a vila entra em um dos Gears (robôs utilizados na guerra) para lutar contra os inimigos, neste momento surge o que pode ser considerado o Darth Vader dos rpgs: Grahf um ser misterioso e muito poderoso e através dele Fei perde o controle e acidentalmente acaba incinerando a vila inteira. Ele então decide sair mundo afora e descobrir qual o seu lugar.

A princípio pode parecer simples, mas com o passar do tempo a história se aprofunda e muitas viradas acontecem. Inimigos muito poderosos aparecem, alianças bem estranhas se formam e muita história é contada. Logo o jogador está completamente inserido na luta de Fei, sua necessidade de procurar Elly, que é o seu grande amor através dos tempos e sua luta contra Grahf e o Ethos, que é a igreja que domina o mundo de Xenogears, claro que no decorrer da história, o seu mecha, o Weltall sofre diversos upgrades, cativando ainda mais os jogadores.

Além da história complexa e bela, Xenogears tinha outros fatores que o deixava anos a frente dos outros rpgs, músicas da melhor qualidade compostas por Yasunori Mitsuda, que também compôs as músicas de Chrono Trigger e Front Mission, entre as músicas haviam trilhas cantadas deixando a história com um jeitão de um anime melhorando a interação entre história/desenvolvimento. Além disso foi um dos primeiros jogos a ter um cenário 3d permitindo que os personagens ficar vagueando pelo mundo imenso.

Um dos poucos jogos a ganhar a nota máxima da revista japonesa Famitsu, Xenogears ainda é tão popular que foi um dos títulos mais pedidos para ser incluso no Playstation Network – PSN, que é o canal de internet do playstation, onde os fãs puderam baixar o jogo e jogar no Ps3.


Code Geass: Lelouch of the Rebellion

terça-feira, 08/07/2008

Sempre quis ver uma históra onde o vilão era o personagem principal. Algo que realmente chamasse a atenção, onde ele tivesse que ser frio, calculista, mau e, quando necessário, matar. Em inúmeras histórias sempre apareceram anti-heróis, que são aqueles heróis sujos, que não querem contato com os outros personagens, que só pensam neles mesmos… até encontrar alguém que mude seu jeito e seus pensamentos. Não, isso não me bastava. Até que apareceu Code Geass…

Provavelmente o texto a seguir tem spoilers, então esta é a última chance de evitá-los.

Continue lendo »


Macross Frontier

terça-feira, 01/07/2008

Se existe um motivo para se ter um bom computador e um monitor bem grande ele se chama Macross Frontier. A qualidade e a beleza deste anime só é comparável a riqueza de detalhes e a história que até agora tem sido muito bem administrada. Lançados doze capítulos até agora, a trama está apenas esquentando, mas com certeza será lembrada como um dos melhores animes já produzidos até então.

A série Macross se baseia em quatro pilares: um triângulo amoroso, músicas poderosas, guerras espaciais e robôs transformáveis. Como em todas as histórias anteriores, temos um triângulo amoroso entre um piloto e duas mulheres; músicas incrívelmente bem orquestradas, com vocais poderosos e produzidas por ninguém menos do que Yoko Kanno; a guerra novamente se encontra de frente com os protagonistas e desta vez é um inimigo totalmente novo; por fim temos os caças mais avançados da galaxia novamente cruzando o espaço e lutando pela humanidade.

Como a série ainda está em produção, só saberemos se a história é realmente boa daqui a alguns meses, mas até agora não só é interessante como também presta homenagem a todas as outras histórias oficiais de Macross. Revelar qualquer detalhe é uma grande perda de tempo, pois a grande jogada deste anime é a fusão entre a parte sonora e a visual. Quando ambas estão ali em movimento a vontade é de estar imerso naquele espaço ou céu, desfrutando da sensação de liberdade que o anime proporciona.

Os destaques até agora vão para os capítulos sete, dez e doze, que prestam homenagens e interligam todos os Macross. Simplesmente necessário.


Rebuild of Evangelion: You are (Not) Alone

sexta-feira, 16/05/2008

O ano de 1995 é um marco especial para os animes, porque até esta data a indústria de animes estava em decadência e foi neste ano surgiram dois grandes sucessos que deram a revitalização que era necessária, mudaram não somente a parte econômica das animações japonesas, mas também uma boa parte da narrativa e da qualidade visual dos animes: Mobile Suit Gundam Wing e Neon Genesis Evangelion.

Continue lendo »