Playstation Portable

psp1 Nos últimos 3 anos não teve compra melhor do que esta aqui em casa. É pequeno, pode ser levado para qualquer lugar, onde vai atrai a atenção, tem um display bonito e pode ser utilizado para jogar jogos, assistir filmes e muitas coisas. Estou falando do Playstation Portable, o videogame de mão da Sony.

Lançado em 12 de dezembro de 2004 no Japão e em março de 2005 nos EUA, o Psp foi uma pequena ousadia da Sony para ver o que conseguiria em um mercado dominado pela Nintendo e sua família de Gameboys e o DS. Na época o único portátil que tinha alguma expressão além do Nintendo DS era o Gp32 e mesmo assim não tinha saída no mundo ocidental, já que era um console coreano. Logo a Sony viu ali uma oportunidade para mais um Playstation.

Com um hardware mais pontente que um DS, tela maior e com mais resolução, o Psp apareceu não para competir com o console da Nintendo, mas para ocupar um lugar que estava ali, vago. Podia considerar ele um PMP ( Personal Media Player) já que tem a capacidade de tocar videos armazenados nos Umds, uma característica que realmente não decolou. Sua ascenção foi devagar, já que inicialmente ele era considerado um console para comportar novas versões de jogos já lançados para outros sistemas, mas graças à alguns jogos exclusivos ele mostrou força e se fincou no mercado.

Claro, como todo console, ele não está livre da pirataria, e alguns até chegam a apontar ela como o principal fator da falta de jogos desenvolvidos com exclusividade para ele, mas o fato é que somente no fim de 2008, com o lançamento do Dissídia: Final Fantasy, as vendas de um único dia bateram 300 mil unidades e colocam este argumento por terra. Chegaria até ao ponto de dizer que o sucesso do Psp foi por causa dos desenvolvedores independentes que viram inúmeras possibilidades no console, e fizeram centenas de programas para serem rodados nele, como calculadoras científicas, leitores de e-books, tocadores de música, emuladores…

O console tem vários pontos a favor e contra ele. Cito os pontos negativos coisas como a imprecisão do controle digital nos jogos de luta, o peso que depois de algumas horas parece crescer bastante, o posicionamento do controle analógico que para mãos grandes como as minhas dá um pouco de tendinite se a jogatina se extender demais e a falta de mais jogos multiplayer. Os pontos fortes são mais numerosos, coisas como todo o acervo do Playstation original podem ser jogados no Psp, centenas de jogos fantásticos, a qualidade do som na reprodução de mp3, a quantidade de programas desenvolvidos para ele pelos entusiastas, a capacidade de assistir filmes no formato mp4, a durabilidade e o acabamento do console entre outras.

O meu Psp completa agora no início de março, três anos, e nele já li, joguei, vi filmes, ouvi música… enfim, me diverti muito. Para os R$ 800 gastos nele acho que o retorno foi mais do que satisfatório, e nada disso sozinho, já que meus amigos também compraram os deles mais ou menos na mesma época e também se divertiram bastante. Recomendo a todos que queiram muita diversão.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: